Notícias locais

11 de junho de 2019

Boa Vista dá dicas para comprar bem no supermercado sem comprometer o orçamento


Há uma série de sugestões simples que podem reduzir os custos com as compras do mês

Para boa parte da população as compras de supermercado são as despesas que mais pesam no orçamento doméstico. Entretanto, a boa notícia é que há uma série de sugestões bem simples que podem reduzir os custos com essas compras. A Boa Vista explica quais são elas, para que o consumidor possa economizar nas suas compras do mês.

Definir um limite no orçamento doméstico
O consumidor deve determinar um valor máximo para as compras de supermercado do mês, lançando a quantia no orçamento doméstico e procurando gastar só o que foi estipulado. A Boa Vista possui uma planilha de controle de orçamento doméstico que pode ser baixada gratuitamente no portal Consumidor Positivo. Ela pode ajudar o consumidor nesta tarefa!

Fazer uma lista
Ir às compras do supermercado sem uma lista é um perigo por duas razões: o consumidor pode comprar o que não precisa ou deixar de adquirir itens que estão faltando na dispensa e, aí, terá de recorrer à padaria ou o mercadinho perto de casa onde, geralmente, os preços são mais altos.

Pesquisar preços
Conhecer os preços dos produtos antes de fazer as compras de supermercados é bastante importante. Se não for possível visitar dois ou três estabelecimentos antes de passar no caixa, o consumidor pode fazer esta pesquisa pela internet ou nos de encartes ou anúncios dos supermercados.
Se o supermercado é longe de casa, não vale a pena ir pessoalmente fazer a pesquisa, pois haverá gastos com combustível e estacionamento ou passagens de ônibus.

Varejões e “atacarejo”
Vale a pena conferir os preços dos produtos em pequenos varejões, caso haja algum perto do consumidor. Normalmente, os preços nesses estabelecimentos são mais baratos.
Comprar em atacadões e “atacarejos” deve ser uma opção considerada, já que oferecem preços finais menores para o consumidor. Nesses lugares, o preço dos produtos compensa mais se comprado em quantidade. Se for muito produto para uma só família, o consumidor pode se reunir com amigos e familiares para comprar nestes estabelecimentos e depois dividir o valor e os itens.

Comprar pela Internet
Há cada vez mais ofertas de supermercados online, que até têm preços compensadores e alguns nem cobram frete. Comprar neles pode ser uma opção para não cair na armadilha de adquirir mais do que o necessário. Tem até sites que fazem comparação de preços entre os supermercados e oferecem um valor menor pelo item.

Comprar na 2ª quinzena do mês
O consumidor deve se organizar para fazer suas compras de supermercado na segunda quinzena do mês. Como o movimento é menor neste período, as empresas ficam mais propícias a fazer promoções para melhorar o fluxo de caixa.

Usar a calculadora
É sempre bom ter em mãos a calculadora para ir somando o que é colocado no carrinho. Isso ajuda a controlar os gastos e não comprar além do que o consumidor pode. A calculadora pode servir também para ajudar a decidir o que vale mais a pena comprar: a manteiga de 200g ou a de 500g, por exemplo.

Fazer o roteiro de compras
É preciso fazer um roteiro para andar no supermercado. Isso é bom para organizar as compras e para economizar. Ao colocar primeiro no carrinho os produtos de primeira necessidade, por exemplo, registrando os preços na calculadora, se tem a ideia de qual valor ainda se pode gastar.
Com o roteiro evita-se ficar passeando pelos corredores do supermercado, um prato cheio para cair na armadilha das compras por impulso.

Analisar ofertas
Ofertas do tipo “leve 5 e pague 4” e similares nem sempre são realmente vantajosas. Para colocar o produto em oferta no carrinho, o consumidor precisa verificar se vai precisar de tantos itens, se não vão perder a validade em curto espaço de tempo ou se já os têm em casa.
Quanto aos produtos próximos do vencimento, o comum é que eles caiam de preço. Deve-se avaliar se vale a pena comprá-los, lembrando que devem ser consumidos rapidamente.

Conferir os preços no caixa
É raro encontrar um consumidor no caixa de um supermercado acompanhando os preços registrados. O consumidor não deve deixar de fazer isso. É mais comum do que se imagina o preço da prateleira ficar maior no caixa. Ou, então, o preço em promoção não ter sido atualizado no sistema do supermercado.

Como pagar
Caso o consumidor ainda não tenha o hábito de controlar as despesas do cartão de crédito, é preferível pagar com o de débito, evitando jogar as despesas para frente e surpresas no vencimento da fatura.
Para quem já faz esse controle, pagar com o cartão de crédito pode ser uma boa opção se guardar o valor numa poupança, além de obter milhas em programas que garantem recompensas.

Para mais informações e dicas de Educação Financeira e Orçamento Doméstico acesse: www.consumidorpositivo.com.br.

Voltar para Notícias